Imagens da modernidade líquida de Bauman em duas cidades invisíveis de Calvino

Autores/as

  • Amélia de Jesus Oliveira Universidade Estadual Paulista
  • Sandro de Cássio Dutra Universidade Estadual Paulista

Palabras clave:

Modernidade líquida, Cidades invisíveis, Bauman, Calvino

Resumen

A literatura e a sociologia são diferentes narrativas sobre a condição humana e estão em permanente diálogo, segundo o sociólogo Zygmunt Bauman (2001). Em diversas passagens de sua obra, ele recorre à arte literária para explicitar sua concepção da sociedade atual –uma sociedade líquida. O presente artigo explora essa troca, com foco sobre duas das cidades invisíveis, descritas pelo viajante Marco Polo, na obra de Italo Calvino (2017). Buscamos mostrar como as cidades de Lêonia e Eutrópia são ricas em insights para se refletir sobre a condição do indivíduo em tempos cada vez mais líquidos. A motivação vem do próprio Bauman que menciona as cidades em suas reflexões. Buscamos, na sequência, explorar outras características das cidades mencionadas, de maneira a discutir aspectos constituintes de nossa condição líquida contemporânea.

Publicado

2020-12-18

Cómo citar

de Jesus Oliveira, A., y S. de Cássio Dutra. «Imagens Da Modernidade líquida De Bauman Em Duas Cidades invisíveis De Calvino». Tenso Diagonal, n.º 10, diciembre de 2020, pp. 53 -64, https://tensodiagonal.org/index.php/tensodiagonal/article/view/274.

Número

Sección

Territorios Usurpados - artículos